O que é neurofeedback?

Neurofeedback é um treinamento que tem como objetivo melhorar o funcionamento fisiológico do cérebro, aperfeiçoando os padrões associados à nossa capacidade cognitiva, física e emocional.

A base metodológica e as ferramentas de trabalho que fundamentam o Sistema Brain-Trainer vem sendo desenvolvidas ao longo de 25 anos por Peter Van Deusen e sua equipe de treinadores que trabalham diariamente ajudando as pessoas a treinarem seu cérebro para que funcionem de maneira mais equilibrada e eficiente. O Sistema TQ (Trainer´s Quantitative) foi criado de acordo com os mais recentes estudos científicos que validam, ao redor do mundo, a correlação entre determinadas ativações cerebrais e a forma como aprendemos, vivenciamos nossos sentimentos, coordenamos nossos movimentos, reagimos aos estímulos, enfim a forma como lidamos com o mundo ao nosso redor. Por exemplo: estudos científicos vêm demonstrando que pessoas que apresentam excesso de atividades de ondas lentas, ou baixo metabolismo na região frontal do cérebro, costumam ser mais desatentas, impulsivas, com dificuldade de concentração e até mesmo com uma tendência maior à depressão. Quando uma pessoa procura um treinador que utiliza o Sistema Brain-Trainer trazendo essas queixas, terão seu cérebro mapeado e, se forem detectados esses padrões, elas serão treinadas para reduzir esse excesso de ondas lentas a fim de que consigam melhorar o metabolismo dessa região. Com isso ela começa a se tornar mais atenta, concentrada, ter maior controle emocional e físico, enfim, melhora diversas funções que estão relacionadas ao que é chamado de funcionamento executivo.

Como funciona o neurofeedback no Sistema
Brain-Trainer?

Etapa 1 – levantamento de queixas e objetivos: Primeiro é feito um levantamento das queixas e objetivos do cliente através de entrevista e de um questionário online que foi criado para auxiliar a avaliação das características e modo de funcionamento cerebral.

Etapa 2 – mapeamento cerebral: É feito um mapeamento cerebral através da técnica de eletroencefalografia. Sensores são colocados no couro cabeludo e são coletadas e gravadas as ativações elétricas do cérebro para que seja feito um levantamento dos padrões de funcionamento daquela pessoa com olhos fechados, abertos e no momento em que executam alguma tarefa simples, para saber como o cérebro responde ao ter que prestar atenção em algo, ao fazer cálculos, ler e levantar informações.

Etapa 3 – análise de dados e definição do treinamento: O Sistema Brain-Trainer possui uma ferramenta de análise complexa e profunda de todos esses dados levantados no mapeamento. Gera gráficos que possibilitam a interpretação e a identificação dos padrões cerebrais daquela pessoa. Através dessa ferramenta, que é chamada de TQ, é possível observarmos quais são os principais padrões de funcionamento daquele cérebro e, com isso, levantar quais deles mais se relacionam com as queixas e objetivos da pessoa. Baseado nessas informações é criado um plano de treinamento individualizado que será utilizado ao longo das sessões.

Etapa 4 – treinamento: Sensores captam sinais do cérebro e enviam a um computador. O software utilizado pelo Sistema Brain-Trainer interpreta esses sinais e os devolve para a pessoa mostrando o tempo todo como está o seu funcionamento cerebral. É como se o cérebro estivesse diante de um “espelho”. Esse processo tem um grande potencial de auxiliar o cérebro a se auto- modular. “Observando” o seu modo de funcionamento é possível buscar uma forma mais eficiente de ativação. É como a bailarina que busca a excelência de seus movimentos se observando constantemente diante do espelho.

Além de oferecer a percepção de como está o seu funcionamento esse software também treina o cérebro auxiliando-o a buscar outros hábitos de ativação mais funcionais reforçando-o quando os atinge. Um sinal sonoro e/ou visual é disparado de acordo com o alvo estabelecido para o treino e recompensa o “esforço” exercido pelo cérebro.

Com tudo isso o cérebro percebe e “aprende” rapidamente novas formas de funcionamento.   Ele é desafiado e estimulado a melhorar seu desempenho e os avanços começam a ocorrer no dia a dia da pessoa. Ela passa, por exemplo, a dormir melhor e a se concentrar e relaxar com mais facilidade. Sua memória melhora, ela consegue ficar mais atenta e focada e passa a aprender melhor. Fica emocionalmente mais equilibrada. Tudo isso faz com que o cérebro queira buscar esses novos padrões de forma mais constante.

Com o decorrer das sessões vão ocorrendo mudanças graduais e definitivas. Os padrões cerebrais mudam e, com isso os hábitos da pessoa vão se tornando mais eficiente. Diante desse novo funcionamento o cérebro consolida esse novo funcionamento, não tendo mais por que voltar ao funcionamento antigo. É possível parar de treinar sem que haja recaídas e, inclusive, por aprender formas mais eficientes a pessoa começa a se mostrar cada vez melhor, mesmo após terminar seu processo de treinamento.

Tudo isso acontece, pois, os treinos utilizados pelo Sistema Brain-Trainer são definidos através de uma avaliação individual, específica para a necessidade de cada pessoa, buscando o que é melhor para ela, de acordo com seus objetivos.

Etapa 5 – avaliação dos resultados: Após o término das sessões é feito um novo questionário para avaliar como evoluíram as questões relacionadas às queixas iniciais. São gerados diversos gráficos de análise comparativa entre o antes e depois para avaliar os resultados alcançados. 

Para que serve o neurofeedback?

  • Alto rendimento de atletas e profissionais

  • Ansiedade

  • Atenção

  • Concentração

  • Depressão

  • Dificuldades de aprendizagem

  • Hiperatividade

  • Memória

  • Perdas cognitivas

  • Preparação para vestibular e concursos

  • Problemas de sono

  • Reabilitação neurológica

  • Relaxamento físico e mental

  • E muito mais!!!!

Por que utilizar o Sistema Brain-Trainer?

Muitas escolas de neurofeedback utilizam o sistema conhecido como Zscore, que tem como objetivo levar todos os cérebros a trabalhar de acordo com um funcionamento médio. Eles utilizam uma base normativa de dados com gravações de vários cérebros. Através de análises estatísticas é definido um parâmetro médio de “normalidade”. Esse tipo de treinamento visa trazer para a média qualquer atividade cerebral que esteja fora desses parâmetros. Treinando todos da mesma maneira, é esperado que haja uma correção dos desvios e, com isso busca-se curar os cérebros de suas patologias.

O trabalho da Brain-Trainer é muito diferente! Ele busca trabalhar cada pessoa de forma individualizada, respeitando seus objetivos e encarando cada cérebro como único. Não acreditamos que um cérebro possa ser “mais normal que outro” e, muito menos, que isso seja definido por médias estatísticas. Nosso grande diferencial é que trabalhamos com marcadores cerebrais, que permitem que cada pessoa possa partir de suas características próprias e assim tornar seu cérebro cada vez melhor. Nosso foco de treinamento é voltado para o alto desempenho e não para a busca de cérebro medianos.